Rejeição e Abandono (Gn. 21:16)

וַתֹּאמֶר שָׂרָה–צְחֹק עָשָׂה לִי אֱלֹהִים כָּל-הַשֹּׁמֵעַ יִצְחַק-לִי

“E foi assentar-se em frente, afastando-se à distância de um tiro de arco; porque dizia: Que eu não veja morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou.” (Bereshit/Gênesis 21:16)

O desespero de Hagar era passar mais uma vez pela mesma situação: de abandono e rejeição. E Hagar, sendo uma serva, era a que menos tinha culpa ou responsabilidade no plano malfeito de Sara de dar um herdeiro a Avraham. Por que ela tinha que sofrer? No entanto, o Eterno sabia que seria um desastre que aquelas duas famílias crescessem juntas. Ao permitir a situação da partida de Hagar, o Eterno deixa claro que também iria cuidar dela e de seu filho. Às vezes o Eterno nos permite passarmos por situações que podem nos fazer sentir desespero e rejeição. Mas, é preciso confiar nEle, pois nem sempre enxergamos que o maior sofrimento, a longo prazo, pode estar em permanecer na companhia daqueles que nos causam mal. A partir desse momento, Hagar teria a chance de recomeçar. E assim também pode ser conosco.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Comentários

comments