Arquivo da tag: sacrifício

Sacrifício e Gratidão (Lv. 3:2)

וְסָמַךְ יָדוֹ עַל-רֹאשׁ קָרְבָּנוֹ וּשְׁחָטוֹ פֶּתַח אֹהֶל מוֹעֵד וְזָרְקוּ בְּנֵי אַהֲרֹן הַכֹּהֲנִים אֶת-הַדָּם עַל-הַמִּזְבֵּחַ–סָבִיב

“E porá a sua mão sobre a cabeça da sua oferta, e a degolará diante da porta da tenda da congregação; e os filhos de Aharon, os kohanim, espargirão o sangue sobre o altar em redor.” (Wayiqrá/Levítico 3:2)

É surpreendente que uma oferta que não é de expiação de pecados tenha a prática do colocar a mão sobre a oferta. Principalmente considerando que a oferta de shelamim (pacífica) era voluntária, resultante de um voto feito ao Eterno. Por que colocar a mão sobre a cabeça, indicando substituição? A resposta pode estar no fato de indicar a nossa compreensão de que, por tudo que o Eterno nos provê, deveríamos a todo momento através de nossas vidas. Mesmo que nossas tentativas sejam imperfeitas, não devemos nos perder de foco essa realidade tão fundamental. E a chave para aprimoramento dessa questão é manter-se sempre grato ao Criador.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Rito e Transformação (Os. 6:6)

כִּי חֶסֶד חָפַצְתִּי וְלֹא-זָבַח וְדַעַת אֱלֹהִים מֵעֹלוֹת

“Porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício; e o conhecimento de Elohim, mais do que os holocaustos.” (Hoshea’/Oséias 6:6)

O povo de Israel é acusado pelo Eterno. O rito de sacrifícios e adoração acabaram se transformando num rito mecânico, sem que se produzisse em seu comportamento qualquer modificação. Os ritos da Torah foram estabelecidos por nossa causa, e não por causa do Eterno. Algo que foi, inclusive, observado por diversos dos principais exegetas judeus ao longo da história. Em sendo assim, o rito só tem valor se produzir em nós o devido efeito. A saber, coisas como arrependimento, lembrança, gratidão, fidelidade, obediência e amor. Sem isso, os ritos não têm qualquer efeito. Antes de se preocupar com qualquer rito, é fundamental compreender a sua função, e se permitir ser transformado pelas palavras da Torah.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Esforço e Sacrifício (Lv. 5:11)

וְאִם-לֹא תַשִּׂיג יָדוֹ לִשְׁתֵּי תֹרִים אוֹ לִשְׁנֵי בְנֵי-יוֹנָה וְהֵבִיא אֶת-קָרְבָּנוֹ אֲשֶׁר חָטָא עֲשִׂירִת הָאֵפָה סֹלֶת לְחַטָּאת לֹא-יָשִׂים עָלֶיהָ שֶׁמֶן וְלֹא-יִתֵּן עָלֶיהָ לְבֹנָה כִּי חַטָּאת הִוא

“Porém, se em sua mão não houver recurso para duas rolas, ou dois pombinhos, então aquele que pecou trará como oferta a décima parte de um efa de flor de farinha, para expiação do pecado; não deitará sobre ela azeite nem lhe porá em cima o incenso, porquanto é expiação do pecado;” (Wayiqra/Levítico 5:11)

Poucos compreendem que a questão da expiação do pecado não era o derramamento de sangue. Tanto que, se a família fosse pobre, em alguns casos, poderia oferecer farinha ao invés de animais, e farinha não sangra. Os animais tinham papel econômico importante, servindo de mantimento, vestimentas, e força de trabalho. Abdicar de um animal exigia grande compromisso com o arrependimento. Semelhantemente, quando transgredimos a Torah do Criador, devemos demonstrar não apenas sentimento de remorso, mas sim disposição em fazermos esforço para mudar, mesmo que isso signifique abdicar de coisas que nos favorecem.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.