Arquivo da tag: medo

Angústia e Proteção (Sl. 34:5)

דָּרַשְׁתִּי אֶת-יְהוָה וְעָנָנִי וּמִכָּל-מְגוּרוֹתַי הִצִּילָנִי

“Busquei a ADONAY, e Ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores.” (Tehilim/Salmos 34:5)

Quando somos crianças, temos por hábito confiar em nossos pais para todos os nossos temores. Crianças pequenas ao menor sinal de algo ruim correm para abraçar as pernas dos pais. Ao crescermos, os motivos dos temores aumentam exponencialmente, e já não sentimos mais que nossos pais possam nos proteger. A infância do ser humano não foi assim projetada por acaso. Devemos buscar emular esse comportamento, dessa vez nos direcionando ao Criador. Conte a Ele os seus temores, e permita que Ele seja o teu alívio em momentos de angústia.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Medo do Eterno (Ex. 20:15)

וַיֹּאמְרוּ אֶל-מֹשֶׁה דַּבֵּר-אַתָּה עִמָּנוּ וְנִשְׁמָעָה וְאַל-יְדַבֵּר עִמָּנוּ אֱלֹהִים פֶּן-נָמוּת

“E disseram a Moshé: Fala tu conosco, e ouviremos: e não fale Elohim conosco, para que não morramos.” (Shemot/Êxodo 20:15)

Nessa passagem, os filhos de Israel ainda exibem um temor que era compatível com o que aprenderam na cultura politeísta egípcia. No mundo politeísta, os homens temiam muito os caprichos dos deuses. Acreditavam que qualquer passo em falso, poderiam ser exterminados. A medida que a cultura do monoteísmo ia sendo estabelecida pela Torá, o Eterno ensinava que a única coisa que poderia destruí-los seria suas próprias ações, caso fossem pelo caminho da iniquidade. Semelhantemente, até os dias atuais, há quem tenha no Eterno uma figura extremamente punitiva, que espera tão somente o mínimo deslize para punir. O temor do Eterno não pode se tornar fobia, caso contrário, o relacionamento com Ele se torna tenso e improdutivo. Há que se ter o cuidado de andar conforme Ele determina, mas sem imaginar, como faziam os antigos politeístas, que um mero deslize seria o nosso fim.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

O Papel do Medo (Ex. 20:16)

וַיֹּאמֶר מֹשֶׁה אֶל-הָעָם אַל-תִּירָאוּ כִּי לְבַעֲבוּר נַסּוֹת אֶתְכֶם בָּא הָאֱלֹהִים וּבַעֲבוּר תִּהְיֶה יִרְאָתוֹ עַל-פְּנֵיכֶם–לְבִלְתִּי תֶחֱטָאוּ

“E disse Moshe ao povo: Não temais, Elohim veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis.” (Shemot/Êxodo 20:16)

Muitos associam ter medo com ter falta de fé. No entanto, não é assim. O medo é um sentimento que o Eterno criou em nós para nos manter alertas contra o perigo, inclusive do pecado. O medo é um sentimento normal do ser humano. Pedir ao Eterno que tire de nós o medo é um pedido vão, pois é a Ele que mude a natureza da Sua própria criação. O cuidado que devemos ter é de não permitir que o medo nos paralize diante do que temos que fazer. E isso não é responsabilidade do Eterno, e sim nossa. É importante saber a hora de dar ouvidos ao medo, para evitar a armadilha, e de vencer o medo, para evitar a estagnação.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Intimidação (Ne 6:19)

גַּם טוֹבֹתָיו הָיוּ אֹמְרִים לְפָנַי וּדְבָרַי הָיוּ מוֹצִיאִים לוֹ אִגְּרוֹת שָׁלַח טוֹבִיָּה לְיָרְאֵנִי

“Também as suas boas ações contavam perante mim, e as minhas palavras transmitiam a ele; portanto Toviyah escrevia cartas para me atemorizar.” (Nehemyah/Neemias 6:19)

Quanto mais Nehemyah (Neemias) buscava agir com integridade, mais falatório era gerado. E mais Toviyah (Tobias), o seu principal opositor, escrevia e enviava a ele ameaças para o intimidar e atemorizar. É frequente encontrarmos pessoas que queiram nos intimidar, ameaçar (às vezes sutilmente), e pressionar quando estamos agindo em integridade. Curiosamente, Toviyah (Tobias) signfica “o Eterno é meu bem” – embora nada houvesse de bem ou do Eterno em suas ações. Às vezes, sofremos pressão de pessoas que até mesmo julgávamos serem boas. O importante é fazer como Nehemyah (Neemias): Não se deixar abalar, nem intimidar, mas seguir agindo em retidão perante o Eterno e perante os homens.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Situação Assustadora (Especial Semana dos Ázimos)

וַיָּבֹאוּ בְנֵי-יִשְׂרָאֵל בְּתוֹךְ הַיָּם בַּיַּבָּשָׁה וְהַמַּיִם לָהֶם חוֹמָה מִימִינָם וּמִשְּׂמֹאלָם

“E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.” (Shemot/Êxodo 14:22)

A cena certamente foi assustadora. Não deve ter sido fácil passar pelo mar aberto, e saber que a qualquer momento, se o mar se fechasse, as águas engoliriam os filhos de Israel. Semelhantemente, às vezes o Eterno permite que passemos por situações assustadoras, mas que na realidade são para o nosso livramento. Para podermos enxergar o milagre, é preciso ter confiança nEle, e seguir adiante, mesmo quando as águas rugem ao nosso redor.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Vencendo a Inércia (Gn. 12:1)

וַיֹּאמֶר יְהוָה אֶל-אַבְרָם, לֶךְ-לְךָ מֵאַרְצְךָ וּמִמּוֹלַדְתְּךָ וּמִבֵּית אָבִיךָ, אֶל-הָאָרֶץ, אֲשֶׁר אַרְאֶךָּ

“Ora, YHWH disse a Avram: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.” (Bereshit/Gênesis 12:1)

O termo hebraico “lekh lekha” significa literalmente “sai por ti”. Isso significa que Avram (Abrão) não deveria esperar por nada nem ninguém, para fazer aquilo que o Eterno desejava que ele fizesse. Muitas vezes, permanecemos estagnados diante de situações porque nos falta coragem para fazermos exatamente isso. Sabemos o que devemos fazer, e quanto, mas nos agarramos a pretextos, dificuldades e empecilhos, e deixamos de ouvir a voz do Eterno nos chamando. Às vezes, a única coisa que nos separa de grandes planos que o Eterno possa ter para nós, é o nosso próprio medo de agir. Se deixarmos nos levar pelo medo e pela inércia, o que será que vamos perder, daquilo que o Eterno nos reservou?

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Afronta (2 Rs. 19:22)

“A quem afrontaste e blasfemaste? E contra quem alçaste a voz e ergueste os teus olhos ao alto? Contra o Santo de Israel?” (Melachim Beit/2 Reis 19:22)

Senaqueribe, em sua arrogância, blasfemou contra o Sagrado, bendito seja Ele. E, por esta razão, sofreu uma dura derrota. Todo filho de Israel está habituado a ver pessoas se levantarem contra ele, por ódio ao fato de sermos o povo escolhido para um propósito. Assim foi ao longo da história. Hoje, a perseguição é mais sutil, disfarçada, mas nem por isso menos real. Não se deixe abater quando for afrontado por suas convicções. Saiba que uma perseguição contra seu povo é uma blasfêmia contra o Santo de Israel. E, no momento certo, Ele exaltará Israel, Seu servo, perante as nações.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Apesar dos medos (1 Sm. 17:37)

“Disse mais David: YHWH me livrou das garras do leão, e das do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Sha’ul a David: Vai, e YHWH seja contigo.” (Sh’muel Alef/1 Samuel 17:37)

Há momentos em que precisamos tomar atos de coragem. Atos que desafiam nossos medos, e que só são capazes de serem realizados por causa de nossa confiança no Eterno. Nesses momentos, é importante fazer como David: Lembrar-se de que no passado o Eterno esteve ao teu lado e te sustentou nos momentos mais difíceis. Essa lembrança pode trazer a confiança necessária para seguir em frente, apesar dos medos.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Medo e Escravidão (Nm. 14:4)

“E diziam uns aos outros: Constituamos um líder, e voltemos ao Egito.” (Bamidbar/Números 14:4)

É fácil ficarmos impressionados com a ideia dos nossos antepassados de quererem retornar ao Egito mesmo depois de tudo que passaram. É fácil ver esse fenômeno no outro. Mas, e reconhecer isso em nós mesmos? Quantas vezes não queremos insistir em voltar a fazer ou manter coisas que só nos trouxeram sofrimento? Ou, quando tomamos coragem de fazer algo diferente, recuamos diante da primeira dificuldade? O medo do desconhecido, como no caso de Israel, pode nos manter escravizados mesmo quando todas as correntes já foram soltas, e as celas já foram abertas.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

 

Medo (Nm. 13:31)

“Porém, os homens que com ele subiram disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.” (Bamidbar/Números 13:31)

Era absolutamente normal que aqueles israelitas sentissem medo. O medo, afinal, é uma emoção humana normal. O erro dos espias não foi ter medo, pois isso é incontrolável. A fé, muitas vezes, significa agir apesar do medo, simplesmente porque se confia nAquilo que o Eterno nos direciona a fazer.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.