Arquivo da tag: humildade

Questão de Foco (Ex. 39:30)

וַיַּעֲשׂוּ אֶת-צִיץ נֵזֶר-הַקֹּדֶשׁ זָהָב טָהוֹר וַיִּכְתְּבוּ עָלָיו מִכְתַּב פִּתּוּחֵי חוֹתָם–קֹדֶשׁ לַיהוה

“Fizeram também, de ouro puro, a lâmina da coroa de santidade, e nela escreveram o escrito como de gravura de selo: SANTIDADE A ADONAY.” (Shemot/Êxodo 39:30)

A coroa de santidade trazia a expressão “Qadosh LADONAY”. A primeira palavra (Santidade) tinha aproximadamente a metade do tamanho da segunda (a ADONAY). Isso mostra uma preocupação da Torá de demonstrar que o status do sumo sacerdote não poderia ser equiparado ao do Eterno. O que tornava o sumo sacerdote especial não era um atributo pessoal, mas sim a função a ele designada pelo próprio Criador. Nosso foco deve sempre estar nEle, jamais em homens, se desejamos realmente ter com Ele um relacionamento. Ele jamais dividirá a Sua glória. Isso é importante ter em mente quando nos sentimos frustrados. O que nos frustra é o Eterno, ou os homens que, com suas atitudes arrogantes e ditatoriais, se colocam em pé de igualdade com Ele? A verdadeira santidade passa por reconhecer que tudo é para Ele.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Poderes Especiais (Sl. 138:6)

כִּי-רָם יהוה וְשָׁפָל יִרְאֶה וְגָבֹהַּ מִמֶּרְחָק יְיֵדָע

“Ainda que ADONAY é excelso, contudo atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe.” (Tehilim/Salmos 138:6)

O salmista faz uma observação interessante sobre a maneira do Eterno agir: Ele atenta para os humildes, mas não ao soberbo, que é observado de longe, dando a entender que o Eterno não está com ele. Há muitos que buscam caminhos espirituais para elevarem a si próprios, para se sentirem mais poderosos, mais santos, mais escolhidos, ou de qualquer outra forma mais especiais. Não percebem que tal coisa só os afasta do Criador. Um dos pontos chaves para o bom relacionamento com o Criador é compreender que nada somos diante dEle, e que Ele por sua infinita misericórdia nos atende. Quanto mais humildes formos diante dEle, mais Ele agirá em nossas vidas.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

O Sacerdócio do Ego (Nm. 16:10)

וַיַּקְרֵב אֹתְךָ וְאֶת-כָּל-אַחֶיךָ בְנֵי-לֵוִי אִתָּךְ וּבִקַּשְׁתֶּם גַּם-כְּהֻנָּה

“E te fez chegar, e todos os teus irmãos, os filhos de Lewi, contigo? ainda também procurais o sacerdócio?” (Bamidbar/Números 16:10)

Se o Tanakh (Bíblia Hebraica) nos incentiva a aprofundarmos nosso relacionamento com o Criador, e a fazermos cada vez mais e melhor, qual o problema de QoraH (Corá) e os outros levitas quererem fazer ainda mais? A resposta está na intenção. Esses levitas queriam o sacerdócio porque queriam ser alguém, se sentirem importantes. Infelizmente, no íntimo, essa é a razão pela qual muitos buscam aumentar sua espiritualidade. Porém, no serviço ao Eterno, não há espaço para egos. Se você deseja servir ao Criador, comece pelo seu ego. Há muito trabalho a ser feito nessa seara, antes que possamos buscar serviços mais sublimes.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Consumindo as Certezas (Lv. 10:2)

וַתֵּצֵא אֵשׁ מִלִּפְנֵי יהוה וַתֹּאכַל אוֹתָם וַיָּמֻתוּ לִפְנֵי יהוה

“Então saiu fogo de diante de ADONAY e os consumiu; e morreram perante ADONAY.” (Wayiqrá/Levítico 10:2)

É comum que quem se aproxime da Torá esteja cheio de opiniões. Opiniões sobre como realizar isto ou aquilo, sobre o que tal texto significa, entre outras coisas. No entanto, neste episódio, Nadav e Avihu resolvem seguir suas próprias opiniões no que diz respeito ao serviço ao Eterno, e são consumidos. Enquanto Aharon representa a submissão e a humildade, Nadav e Avihu representam a egolatria e a arrogância. Esse episódio ilustra o que devemos fazer: Para que possamos servir ao Eterno, é preciso que a egolatria e a arrogância sejam consumidos. E isso começa por deixarmos de lado as nossas certezas e compreendermos que nada sabemos. Esvaziando-nos de todas as coisas, estaremos prontos para servir ao Eterno como Aharon o fez: de coração íntegro.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Porque somos fracos (Ex. 12:4)

וְאִם-יִמְעַט הַבַּיִת מִהְיוֹת מִשֶּׂה–וְלָקַח הוּא וּשְׁכֵנוֹ הַקָּרֹב אֶל-בֵּיתוֹ בְּמִכְסַת נְפָשֹׁת אִישׁ לְפִי אָכְלוֹ תָּכֹסּוּ עַל-הַשֶּׂה

“Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro.” (Shemot/Êxodo 12:4)

Famílias pequenas partilhavam o seu cordeiro ou carneiro com seus vizinhos. Elas precisavam da ajuda umas das outras para poderem conseguir cumprir esse mandamento. Esse é o segredo para atingirmos um grau cada vez maior de alinhamento com a vontade do Criador: Entendermos que todos nós, isoladamente, temos nossas fraquezas e dificuldades. Não é vergonha nos aproximarmos de outras pessoas buscando ajuda, ou partilharmos nossa caminhada com alguém próximo, para que possamos ser fortes onde são fracos, e permitirmos que eles também nos ajudem em nossas necessidades. O Eterno nos moldou com fragilidades individuais, para nos encorajar na humildade, no amor e no apoio mútuo.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Honra e Cuidado (Ex. 40:31)

וְרָחֲצוּ מִמֶּנּוּ מֹשֶׁה וְאַהֲרֹן וּבָנָיו אֶת-יְדֵיהֶם וְאֶת-רַגְלֵיהֶם

“E Moshe, e Aharon e seus filhos nela lavaram as suas mãos e os seus pés.” (Shemot/Êxodo 40:31)

Moshe (Moisés) é descrito como uma das pessoas mais humildes que já existiram. E era alguém tão especialmente obediente que foi a única pessoa com quem o Eterno falou diretamente, sem ser por sonhos ou visões. No entanto, até mesmo ele lavou suas mãos e seus pés para adentrar o Mishkan (Tabernáculo). De forma análoga, mesmo naquilo em que temos forte ligação com o Eterno, é preciso atentarmos sempre para que não deixemos de honrá-Lo, e de nos apresentarmos puros diante dEle. Frequentemente focamos nas coisas em que temos dificuldade, porém não devemos deixar de cuidar daquilo em que temos prática, para não tropeçarmos. O cuidado para com as coisas do Criador deve ser constante, e abranger tudo aquilo que fazemos.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Quando o Eterno diz: “Não!” (Dt. 3:26)

וַיִּתְעַבֵּר יהוה בִּי לְמַעַנְכֶם וְלֹא שָׁמַע אֵלָי וַיֹּאמֶר יהוה אֵלַי רַב-לָךְ–אַל-תּוֹסֶף דַּבֵּר אֵלַי עוֹד בַּדָּבָר הַזֶּה

“Porém YHWH indignou-se muito contra mim por causa de vós, e não me ouviu; antes YHWH me disse: Basta; não me fales mais deste assunto.” (Devarim/Deuteronômio 3:26)

É difícil. É doloroso. E muitas vezes nos recusamos a ouvir da primeira vez. Porém, é preciso saber ouvir um ‘não’ da parte do Eterno. Até Moshe (Moisés), o maior homem que já pisou na terra, ouviu isso do Eterno. E demonstrou humildade ao acatar essa resposta do Criador. Muitas vezes, quando pedimos algo a Ele, a resposta é afirmativa. Noutra, a resposta é negativa. Algumas religiões chegam a ensinar que podemos vencer o Eterno pela insistência, como se o Eterno fosse homem para se cansar. Todavia, esse tipo de atitude só gera tristeza, decepção e frustração. Nem todo mundo está habituado a ouvir um ‘não’. Assim como um mestre repete um ensinamento até que seu aluno o aprenda, para seu próprio bem, assim também o Eterno dirá muito mais ‘nãos’ àqueles que têm dificuldade de aceitar, de modo a ensiná-los a se sujeitarem à Sua vontade. Para poder ouvir um ‘Sim’ do Eterno, é preciso também estar pronto para aceitar um ‘Não’, pois o Eterno não aceita concorrentes em Sua soberania. Nem mesmo quando a concorrência vem do nosso próprio ego.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Servo do Eterno (Is. 41:8)

וְאַתָּה יִשְׂרָאֵל עַבְדִּי יַעֲקֹב אֲשֶׁר בְּחַרְתִּיךָ זֶרַע אַבְרָהָם אֹהֲבִי

“Porém tu, ó Yisrael, servo meu, tu Ya’aqov, a quem elegi descendência de Avraham, meu amigo.” (Yeshayahu/Isaías 41:8)

Muitos pensam em Israel como o povo escolhido no sentido de uma suposta superioridade espiritual. Na realidade, não há nada na Torah ou nos Profetas que indique isso. Pelo contrário, conforme Yeshayahu (Isaías) afirma, o chamado de Israel é para ser servo do Eterno. O servo não é superior, mas aquele que tem humildade acima de tudo. Humildade de saber que sua função é servir a humanidade, ao ser porta-voz do monoteísmo e da crença no único e verdadeiro Elohim. Somente aquele que tem essa consciência consegue de fato fazer essa função.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Alcançando Destaque (Ez. 31:2)

בֶּן-אָדָם אֱמֹר אֶל-פַּרְעֹה מֶלֶךְ-מִצְרַיִם וְאֶל-הֲמוֹנוֹ: אֶל-מִי דָּמִיתָ בְגָדְלֶךָ

“Filho do homem, dize a Faraó, rei do Egito, e à sua multidão: A quem és semelhante na tua grandeza?” (Yehezqel/Ezequiel 31:2)

Frequentemente, em Yehezqel, observa-se que os reis das nações eram descritos como elevados e gloriosos, mas é dito que o Eterno lhes traria a ruína. Se o maior erro de quem está em destaque e o orgulho, que pode chegar a fazer a pessoa se sentir acima do bem e do mal, então a maior virtude de uma pessoa em destaque é a humildade. Aquele, portanto, que deseja que o Eterno o encaminhe a uma posição de destaque deve, antes, se esforçar para trabalhar o seu orgulho pessoal, e buscar aprender a ser humilde e temente ao Criador. Só então estará pronto para realizar grandes coisas.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Limpeza (Especial para PessaH)

שִׁבְעַת יָמִים מַצּוֹת תֹּאכֵלוּ–אַךְ בַּיּוֹם הָרִאשׁוֹן תַּשְׁבִּיתוּ שְּׂאֹר מִבָּתֵּיכֶם כִּי כָּל-אֹכֵל חָמֵץ וְנִכְרְתָה הַנֶּפֶשׁ הַהִוא מִיִּשְׂרָאֵל–מִיּוֹם הָרִאשֹׁן עַד-יוֹם הַשְּׁבִעִי

“Sete dias comereis pães ázimos; ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, desde o primeiro até ao sétimo dia, aquela alma será cortada de Israel.” (Shemot/Êxodo 12:15)

Durante a limpeza do hames (levedado), em preparação para a Semana dos Ázimos, nos deparamos com coisas que há muito estavam guardadas, e que já não tem nenhuma utilidade. Às vezes, temos até tristeza de nos desfazermos de certas coisas, mas é necessário, para que possamos celebrar a festa com alegria. Isso reflete também a realidade de nossas vidas. Há coisas guardadas, levedadas e azedadas, que precisamos ter a coragem de deixar para trás. O medo de jogá-las fora pode nos deixar mais infelizes do que se tentarmos nos agarrar a ela. Aproveitemos a época, e limpemos não apenas as nossas dispensas, mas também o mais profundo de nossos corações. Joguemos fora o que é velho, para que o novo possa surgir.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.