Arquivo da tag: exemplo

Sementes e Frutos (Pv. 10:12)

שִׂנְאָה תְּעֹרֵר מְדָנִים וְעַל כָּל-פְּשָׁעִים תְּכַסֶּה אַהֲבָה

“O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados.” (Mishlê/Provérbios 10:12)

Uma pergunta que devemos nos indagar antes de repreender ou mesmo oposição ao a alguém: Nossos atos são motivados por amor? Muitas pessoas se frustram com suas tentativas de colocar terceiros no caminho da retidão, porém suas ações não são motivadas por amor, e sim por medo, raiva, ou até mesmo desejo de dominação. Se essa é a semente que plantamos, só colheremos ódio e contenda. Porém, se nossa atitude com o próximo for amorosa, e com brandura falarmos sobre integridade, o outro ainda continua tendo o livre arbítrio para aceitar ou não o que estamos dizendo, mas as chances de dar certo são muito maiores. Plante a Torá em amor, para que os frutos sejam deleitosos.

© 5776 – Qol haTorá (www.judeu.org) – Permitida a reprodução se os créditos forem mantidos.

A Luz do Testemunho (1 Rs. 10:9)

יְהִי יהוה אֱלֹהֶיךָ בָּרוּךְ אֲשֶׁר חָפֵץ בְּךָ לְתִתְּךָ עַל-כִּסֵּא יִשְׂרָאֵל–בְּאַהֲבַת יהוה אֶת-יִשְׂרָאֵל לְעֹלָם וַיְשִׂימְךָ לְמֶלֶךְ לַעֲשׂוֹת מִשְׁפָּט וּצְדָקָה

“Bendito seja ADONAY teu Elohim, que teve agrado em ti, para te pôr no trono de Israel; porque ADONAY ama a Israel para sempre, por isso te estabeleceu rei, para fazeres juízo e justiça.” (Melakhim Alef/1 Reis 10:9)

A rainha de Sabá escutou falar acerca da sabedoria de Shelomô (Salomão), e veio vê-la de perto. Ao contemplar o conhecimento e as obras do rei, proferiu a bênção acima registrada. As palavras e atitudes do rei foram suficientes para que ela pudesse testemunhar acerca de tudo que o Eterno havia feito a Israel. Há quem empregue grande esforço em tentar convencer terceiros acerca do Eterno, ou mesmo de sua incomparável unicidade. A melhor forma de testificar acerca do Eterno, contudo, é através de palavras e atitudes de sabedoria. Se concentrarmos nossos esforços em sermos pessoas melhores diante dos caminhos dEle, e em nosso tratamento para com o próximo, então a luz do Eterno poderá ser vista refletida por nossas almas.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Pequenas Mudanças (Dt. 22:1)

לֹא-תִרְאֶה אֶת-שׁוֹר אָחִיךָ אוֹ אֶת-שֵׂיוֹ נִדָּחִים וְהִתְעַלַּמְתָּ מֵהֶם הָשֵׁב תְּשִׁיבֵם לְאָחִיךָ

“Vendo extraviado o boi ou ovelha de teu irmão, não te desviarás deles; restituí-los-ás sem falta a teu irmão.” (Debharim/Deuteronômio 22:1)

Nisto vemos uma grande diferença entre a moral da Torá e aquela que se vê em nossa sociedade. Enquanto se tem por hábito dizer ‘Achado não é roubado’, a Torá estabelece por princípio que aquilo que foi extraviado deve ser devolvido ao dono. Infelizmente, vivemos numa cultura que propõe o contrário: Privilegia a malandragem, e o egocentrismo, ao passo que os valores da Torá privilegiam a integridade, e a coletividade. Muitos falam sobre mudar o Brasil, elegendo novos governos. Porém, se esquecem que o governo vem do povo. Para transformar nossa realidade, é preciso começar transformando nossa forma de enxergar o mundo. E como fazer isso? Servido de exemplo, através das nossas atitudes, a começar com as pequenas coisas.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Exemplo de Conduta (Gn. 2:2)

וַיְכַל אֱלֹהִים בַּיּוֹם הַשְּׁבִיעִי מְלַאכְתּוֹ אֲשֶׁר עָשָׂה וַיִּשְׁבֹּת בַּיּוֹם הַשְּׁבִיעִי מִכָּל-מְלַאכְתּוֹ אֲשֶׁר עָשָׂה

“E havendo Elohim acabado no dia sétimo a obra que fizera, cessou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.” (Bereshit/Gênesis 2:2)

Não havia necessidade do Eterno cessar de sua obra no sétimo dia. Afinal, Ele não se cansa, nem precisa de repouso. Todavia, frequentemente nas Escrituras os atos do Eterno são calculados para servirem de exemplo para nós. Por essa razão, a Torá muitas vezes os descreve de forma antropomórfica. Há pessoas que vivem em busca de um exemplo de vida a seguir: uma pessoa, um mestre, um personagem bíblico. Porém, e olharmos para a forma como o Eterno age conosco, teremos o melhor exemplo de todos. Não há ninguém melhor para nos ensinar a agir em justiça, retidão, integridade, compaixão, amorosidade, longanimidade e amor do que o próprio Eterno, ao ser observado em seus atos. Observar as ações do Eterno é mais do que contemplar a Sua glória. É também uma referência de como devemos tentar agir, mesmo que em menor escala. O Eterno é o melhor exemplo que podemos observar.

© 5755 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Mensagem ou Exemplo? (2 Cr. 9:6)

וּמִן-בְּנֵי-זֶרַח יְעוּאֵל וַאֲחֵיהֶם שֵׁשׁ-מֵאוֹת וְתִשְׁעִים

“Porém não cria naquelas palavras, até que vim, e meus olhos o viram, e eis que não me disseram a metade da grandeza da tua sabedoria; sobrepujaste a fama que ouvi.” (Divrê haYamim Bet/2 Crônicas 9:6)

Muitas pessoas se preocupam em transmitir mensagens religiosas para seus próximos. No entanto, de nada adianta falar sobre mistérios dos céus e da terra, pois qualquer pessoa pode simplesmente acreditar ou não em tais palavras. Assim foi com a rainha de Sabá, que somente veio a entender a dimensão do que ouvira quando viu Shelomo (Salomão) ao vivo, e aí compreendeu a sua sabedoria. Temos em mãos algo mais grandioso do que a sabedoria de Shelomo, a saber, a Torah que o Eterno nos concedeu. Todavia, é somente através da observância da aplicação da Torah em nossas vidas é que poderemos realmente transformar a percepção daqueles ao nosso redor, ao ponto que desejem, também eles, se relacionarem com Criador. Então será o momento certo de transmitir a mensagem do temor dos céus.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Responsabilidade e Exemplo (Nm. 20:12)

וַיֹּאמֶר יהוה אֶל-מֹשֶׁה וְאֶל-אַהֲרֹן יַעַן לֹא-הֶאֱמַנְתֶּם בִּי לְהַקְדִּישֵׁנִי לְעֵינֵי בְּנֵי יִשְׂרָאֵל–לָכֵן לֹא תָבִיאוּ אֶת-הַקָּהָל הַזֶּה אֶל-הָאָרֶץ אֲשֶׁר-נָתַתִּי לָהֶם

“E YHWH disse a Moshe e a Aharon: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado.” (Bamidbar/Números 20:12)

Este é um dos episódios mais tristes da Torah. Moshe (Moisés), o maior expoente da fé judaica, acaba sendo impedido de entrar na terra da promessa. Moshe (Moisés) finalmente foi afetado pela incredulidade e rebeldia do povo. Moshe (Moisés) acaba por nos ensinar uma preciosa lição, mesmo que o preço para ele seja alto: Não só ninguém está livre de tropeçar, como também quanto mais conhecimento temos, mais o Eterno espera de nós que sejamos um exemplo de santidade para os demais. Aquele que busca mais do Eterno deve estar preparado também para maiores cobranças.

© 2014 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Padrões de Comportamento (Gn. 26:7)

וַיִּשְׁאֲלוּ אַנְשֵׁי הַמָּקוֹם לְאִשְׁתּוֹ וַיֹּאמֶר אֲחֹתִי הִוא: כִּי יָרֵא, לֵאמֹר אִשְׁתִּי פֶּן-יַהַרְגֻנִי אַנְשֵׁי הַמָּקוֹם עַל-רִבְקָה כִּי-טוֹבַת מַרְאֶה הִוא

“E perguntando-lhe os homens daquele lugar acerca de sua mulher, disse: É minha irmã; porque temia dizer: É minha mulher; para que porventura (dizia ele) não me matem os homens daquele lugar por amor de Rivkah; porque era formosa à vista.” (Bereshit/Gênesis 26:7)

É pouco provável que seja coincidência que Yiṣẖaq (Isaque) tenha repetido o padrão daquilo que seu pai fizera. Filhos frequentemente repetem padrões de comportamento de seus pais. Duas coisas nos servem de advertência, contudo. Ao pais: Nossas ações não têm consequência apenas sobre nossas vidas, mas servem de modelo para a posteridade. Aos filhos: O fato dos pais terem errado não dá o direito de repetir o erro, como se a ação do pai autorizasse um comportamento equivocado. Pais, e filhos, devem sempre buscar a teshuvah, isto é, o retorno aos caminhos do Eterno, e não o estabelecimento ou a repetição de padrões ruins de comportamento.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.