Arquivo da tag: decisão

Difícil Escolha (Dt. 28:3)

בָּרוּךְ אַתָּה בָּעִיר וּבָרוּךְ אַתָּה בַּשָּׂדֶה

“Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo.” (Debarim/Deuteronômio 28:3)

Como é difícil estar diante de uma situação na qual se pode ir para a esquerda, ou para a direita! O que fazer? Como agir? Muitas pessoas ficam paralisadas diante de uma escolha, esperando que o Eterno revele qual o caminho a ser tomado. Porém, o Eterno não age assim, pois maturidade implica em saber escolher e se responsabilizar pelas suas escolhas. Se você confia no Eterno e tem com Ele uma aliança, se fez dEle o seu Senhor, então o caminho que você escolher, Ele abençoará. E se houver armadilhas, confie que Ele te desviará de todas elas. O Eterno não abençoa quem fica parado diante da indecisão, mas sim quem confia nEle o suficiente para saber que Ele abençoará todas as tuas veredas. Como diz a Escritura acima, onde você estiver, Ele te abençoará.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Permitida a reprodução se os créditos forem mantidos.

O Custo da Expiação (Ex. 30:16)

וְלָקַחְתָּ אֶת-כֶּסֶף הַכִּפֻּרִים מֵאֵת בְּנֵי יִשְׂרָאֵל וְנָתַתָּ אֹתוֹ עַל-עֲבֹדַת אֹהֶל מוֹעֵד וְהָיָה לִבְנֵי יִשְׂרָאֵל לְזִכָּרוֹן לִפְנֵי יהוה לְכַפֵּר עַל-נַפְשֹׁתֵיכֶם

“E tomarás o dinheiro das expiações dos filhos de Israel, e o darás ao serviço da tenda da congregação; e será para memória aos filhos de Israel diante de ADONAY, para fazer expiação por vossas almas.” (Shemot/Êxodo 30:16)

Em que sentido podemos dizer que o dinheiro dado pelos filhos de Israel expiaria suas almas? Uns poderiam pensar ser um mecanismo de obter recursos. Porém, o versículo anterior afirma que nem o rico nem o pobre doariam quantia diferente. Fato é que a expiação vem logo depois do apontamento dos filhos de Aarão (Aharon) ao sacerdócio, em substituição ao sacerdócio do próprio povo. A expiação, portanto, vem como uma maneira de demonstrar aos israelitas que tudo cobra o seu preço. Diante da manifestação tão forte do Eterno no Sinai, os israelitas acharam por bem evitar o sacerdócio. Porém, era importante que compreendessem que isso também teria um custo. Por outro lado, os filho de Aharon, apesar do serviço no Tabernáculo, estariam isentos desse valor. Em suma, seja qual for a posição que tivermos perante o Eterno, e perante a vida, há sempre um preço a pagar. Mas, quando o Eterno está envolvido na questão, também há grandes bênçãos que acompanham a escolha. .

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Decisões Difíceis (Nm. 5:2)

צַו אֶת-בְּנֵי יִשְׂרָאֵל וִישַׁלְּחוּ מִן-הַמַּחֲנֶה כָּל-צָרוּעַ וְכָל-זָב וְכֹל טָמֵא לָנָפֶשׁ

“Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o que tem sara`at, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto.” (Bamidbar/Números 5:2)

À primeira vista, essa passagem não é das mais populares. No entanto, é preciso compreender que tais pessoas não eram abandonadas, e sim afastadas do convívio coletivo, até que pudessem se purificar e não mais apresentassem risco à comunidade. Isso era feito para priorizar o coletivo, e evitar problemas mais graves. Analogamente, não é incomum nos encontrarmos diante de situações em que temos que fazer cortes dolorosos, para evitar incorrermos em problemas maiores. Sabedoria é também conseguir colocar as coisas em perspectiva, e priorizar o que é mais importante. Mesmo que a prioridade tenha um preço, que possa até mesmo ser doloroso.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Coragem e Redenção (Ex. 2:3)

וְלֹא-יָכְלָה עוֹד הַצְּפִינוֹ וַתִּקַּח-לוֹ תֵּבַת גֹּמֶא וַתַּחְמְרָה בַחֵמָר וּבַזָּפֶת וַתָּשֶׂם בָּהּ אֶת-הַיֶּלֶד וַתָּשֶׂם בַּסּוּף עַל-שְׂפַת הַיְאֹר

“Não podendo, porém, mais escondê-lo, tomou uma arca de juncos, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à margem do rio.” (Shemot/Êxodo 2:3)

O ato da mãe de Moshe (Moisés) foi desesperado. Sem ter mais o que fazer por seu filho, precisou lidar com a dor de deixá-lo às margens do rio. Sem saber se voltaria a vê-lo, e sem saber o que o destino reservaria ao menino. Mas, apesar de desesperado, foi um ato de muita coragem. E foi justamente a partir desse ato que se iniciou a redenção do povo de Israel. Imagine se a mãe de Moshe tivesse se recusado a agir, e tão somente orado. Às vezes, em meio a dificuldades, nós sabemos que precisamos tomar atitudes até desesperadoras. É difícil aceitar que precisamos tomar um determinado curso de ação, por parecer doloroso demais. Porém, se sabemos em nosso íntimo qual é a coisa certa a fazer, não devemos adiar. Pois por mais dolorosa, essa pode ser a ação através da qual o Eterno te trará a redenção de suas dificuldades.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.