Arquivo da tag: coragem

Coragem x Estagnação (Dt. 31:6)

חִזְקוּ וְאִמְצוּ אַל-תִּירְאוּ וְאַל-תַּעַרְצוּ מִפְּנֵיהֶם כִּי יהוה אֱלֹהֶיךָ הוּא הַהֹלֵךְ עִמָּךְ–לֹא יַרְפְּךָ וְלֹא יַעַזְבֶךָּ

“Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque ADONAY teu Elohim é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará.” (Debarim/Deuteronômio 31:6)

Coragem. Essa é uma palavra que não pode faltar no vocabulário de quem serve ao Criador. Porém, ao contrário do que muitos pensam, a coragem não é a ausência do medo. O medo é uma reação biológica instintiva a algo que é percebido como ameaçador. Ou seja, você não controla nem ‘se’, nem ‘quando’ irá sentir medo. Todavia, você pode escolher ser ou não dominado pelo medo. A coragem é o agir mesmo quando se está com medo, confiando que o Eterno irá te apoiar. Aquele que fica parado dizendo esperar que o Eterno abra as portas ou dê coragem ficará para sempre estagnado em sua vida. Aquele que deseja ver progresso e transformação precisa ter coragem para agir, e a certeza de que o Eterno irá abençoar.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Permitida a reprodução se os créditos forem mantidos.

Redenção e Coragem (Ed. 6:19)

גַּם טוֹבֹתָיו הָיוּ אֹמְרִים לְפָנַי וּדְבָרַי הָיוּ מוֹצִיאִים לוֹ אִגְּרוֹת שָׁלַח טוֹבִיָּה לְיָרְאֵנִי

“E os filhos do cativeiro celebraram o PessaH no dia catorze do primeiro mês.” (`Ezra/Esdras 6:19)

A alegria em Jerusalém era enorme. O povo judeu havia sido remido do cativeiro babilônio, e celebraria o seu primeiro PessaH (Páscoa) após o exílio. Pode-se observar a mesma alegria nos olhos dos descendentes dos judeus da Inquisição, quando celebram o PessaH após gerações de afastamento de suas origens. PessaH é uma ocasião muito propícia para tamanha alegria, pois é justamente a comemoração da redenção. Uma festa com uma importante mensagem: O Eterno nunca nos abandonará. Que essa mensagem possa estar nos corações de todos aqueles que, como os pioneiros após o exílio, tanto egípcio quanto babilônio, encararam a árdua missão de restaurar o que havia sido destruído. Que a geração da redenção dos descendentes da Inquisição possa encontrar a mesma coragem, com alegria e determinação.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Permitida a reprodução se os créditos forem mantidos.

Libertação e Novo Começo (Ex. 2:24)

וַיִּשְׁמַע אֱלֹהִים אֶת-נַאֲקָתָם וַיִּזְכֹּר אֱלֹהִים אֶת-בְּרִיתוֹ אֶת-אַבְרָהָם אֶת-יִצְחָק וְאֶת-יַעֲקֹב

“E ouviu Elohim o seu gemido, e lembrou-se Elohim da sua aliança com Abraham, com Yis’haq, e com Ya`aqob.” (Shemot/Êxodo 2:24)

A porção desta semana inicia um novo livro da Torá, e curiosamente será lida na semana que marca o primeiro dia de um novo ano no calendário civil. Há também uma novidade de tema, na Torá: É o princípio do momento em que Israel passa a ser tratado como uma nação. Antes disso, todavia, o Eterno providencia a sua libertação. No livro de Shemot (Êxodo), o Eterno abre as portas, mas é o povo que caminha, deixando definitivamente o Egito. O início de um novo ano civil costuma ser um momento de muitas promessas e esperanças. Mas, tal como na narrativa da Torá, todo novo começo só pode surgir a partir de uma libertação quanto às amarras do passado. Confie no Eterno, e deixe para trás situações já desgastadas, e que te aprisionem. A libertação só ocorre quando damos o passo na direção da liberdade.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

O Papel do Medo (Ex. 20:16)

וַיֹּאמֶר מֹשֶׁה אֶל-הָעָם אַל-תִּירָאוּ כִּי לְבַעֲבוּר נַסּוֹת אֶתְכֶם בָּא הָאֱלֹהִים וּבַעֲבוּר תִּהְיֶה יִרְאָתוֹ עַל-פְּנֵיכֶם–לְבִלְתִּי תֶחֱטָאוּ

“E disse Moshe ao povo: Não temais, Elohim veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis.” (Shemot/Êxodo 20:16)

Muitos associam ter medo com ter falta de fé. No entanto, não é assim. O medo é um sentimento que o Eterno criou em nós para nos manter alertas contra o perigo, inclusive do pecado. O medo é um sentimento normal do ser humano. Pedir ao Eterno que tire de nós o medo é um pedido vão, pois é a Ele que mude a natureza da Sua própria criação. O cuidado que devemos ter é de não permitir que o medo nos paralize diante do que temos que fazer. E isso não é responsabilidade do Eterno, e sim nossa. É importante saber a hora de dar ouvidos ao medo, para evitar a armadilha, e de vencer o medo, para evitar a estagnação.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Coragem e Redenção (Ex. 2:3)

וְלֹא-יָכְלָה עוֹד הַצְּפִינוֹ וַתִּקַּח-לוֹ תֵּבַת גֹּמֶא וַתַּחְמְרָה בַחֵמָר וּבַזָּפֶת וַתָּשֶׂם בָּהּ אֶת-הַיֶּלֶד וַתָּשֶׂם בַּסּוּף עַל-שְׂפַת הַיְאֹר

“Não podendo, porém, mais escondê-lo, tomou uma arca de juncos, e a revestiu com barro e betume; e, pondo nela o menino, a pôs nos juncos à margem do rio.” (Shemot/Êxodo 2:3)

O ato da mãe de Moshe (Moisés) foi desesperado. Sem ter mais o que fazer por seu filho, precisou lidar com a dor de deixá-lo às margens do rio. Sem saber se voltaria a vê-lo, e sem saber o que o destino reservaria ao menino. Mas, apesar de desesperado, foi um ato de muita coragem. E foi justamente a partir desse ato que se iniciou a redenção do povo de Israel. Imagine se a mãe de Moshe tivesse se recusado a agir, e tão somente orado. Às vezes, em meio a dificuldades, nós sabemos que precisamos tomar atitudes até desesperadoras. É difícil aceitar que precisamos tomar um determinado curso de ação, por parecer doloroso demais. Porém, se sabemos em nosso íntimo qual é a coisa certa a fazer, não devemos adiar. Pois por mais dolorosa, essa pode ser a ação através da qual o Eterno te trará a redenção de suas dificuldades.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Vencendo a Inércia (Gn. 12:1)

וַיֹּאמֶר יְהוָה אֶל-אַבְרָם, לֶךְ-לְךָ מֵאַרְצְךָ וּמִמּוֹלַדְתְּךָ וּמִבֵּית אָבִיךָ, אֶל-הָאָרֶץ, אֲשֶׁר אַרְאֶךָּ

“Ora, YHWH disse a Avram: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.” (Bereshit/Gênesis 12:1)

O termo hebraico “lekh lekha” significa literalmente “sai por ti”. Isso significa que Avram (Abrão) não deveria esperar por nada nem ninguém, para fazer aquilo que o Eterno desejava que ele fizesse. Muitas vezes, permanecemos estagnados diante de situações porque nos falta coragem para fazermos exatamente isso. Sabemos o que devemos fazer, e quanto, mas nos agarramos a pretextos, dificuldades e empecilhos, e deixamos de ouvir a voz do Eterno nos chamando. Às vezes, a única coisa que nos separa de grandes planos que o Eterno possa ter para nós, é o nosso próprio medo de agir. Se deixarmos nos levar pelo medo e pela inércia, o que será que vamos perder, daquilo que o Eterno nos reservou?

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Risco e Recompensa (Ed. 5:4)

“Disseram-lhes, mais: E quais são os nomes dos homens que construíram este edifício?” (Ezra/Esdras 5:4)

Reconstruir o Beit HaMikdash (Templo) em meio a tanta oposição foi um ato de coragem da parte de Zerubavel (Zorobabel) e seu grupo. A pergunta acima citada poderia ter lhes custado a vida. Isso, todavia, não os impediu de realizar a obra mais importante de suas vidas. Nunca deixe que as ameaças de terceiros te impeça de cumprir aquilo que o Eterno determinou, pois assim como os nomes desses homens foram imortalizados no Tanach, semelhantemente todo aquele que faz a vontade do Eterno será por Ele lembrado e honrado.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.