Arquivo da tag: amor

Nutrindo a Gratidão (2 Sm. 9:1)

וַיֹּאמֶר דָּוִד–הֲכִי יֶשׁ-עוֹד אֲשֶׁר נוֹתַר לְבֵית שָׁאוּל; וְאֶעֱשֶׂה עִמּוֹ חֶסֶד בַּעֲבוּר יְהוֹנָתָן

“E disse Dawid: Há ainda alguém que tenha ficado da casa de Sha’ul, para que lhe faça benevolência por amor de Yehonatan?” (Shemuel Bet/2 Samuel 9:1)

Mesmo Yehonatan (Jonatas) tendo morrido, e a casa de Sha’ul (Saul) tendo sido sua ferrenha adversária, Dawid (Davi) jamais esqueceu do amor e da gratidão que tinha por seu amigo, que inclusive lhe salvara a vida. Muitas vezes nos apegamos ao ressentimento por tantos anos, ao passo que rapidamente nos esquecemos da gratidão, e do amor. Uma das chaves para se ter um coração puro é procurar processar aquilo que é ruim, e nutrir aquilo que é bom. Somos fruto daquilo que alimentamos diariamente dentro de nós.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Motivação (Jó 22:3)

“Ou tem o Shadai prazer em que tu sejas justo, ou algum lucro em que tu faças perfeitos os teus caminhos?” (Iyov/Jó 22:3)

Elifaz, o temanita, achava que o relacionamento com o Eterno se dava unicamente no aspecto da causa e efeito, como se o Eterno se demonstrasse distante, até mesmo indiferente quanto à obediência ou desobediência humana. Por trás desse pensamento, existe uma centralidade em si mesmo. A Torah nos ensina a amarmos o Eterno com todas as nossas forças. Quando amamos alguém, o que fazemos não é pesado nem pensando em benefício próprio, mas sim um gesto de amor. Essa deve ser nossa principal motivação à obediência.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Afeto e Proteção (1 Sm. 19:1)

“E falou Sha’ul a Yonatan, seu filho, e a todos os seus servos, para que matassem a David. Porém Yehonatan Ben Sha’ul estava muito afeiçoado a David.” (Sh’muel Alef/1 Samuel 19:1)

O que impediu Yehonatan (Jônatas) de fazer algo contra David não foi sua consciência moral, mas sim seu profundo amor por ele. Há quem cultive apenas relacionamentos onde há ressentimento. Contudo, cercar-se de bons relacionamentos é fundamental, pois mesmo que a outra parte não seja ética, o seu sentimento por nós às vezes pode impedí-la de nos causar mal. É melhor se afastar de pessoas para com quem o sentimento seja negativo, e cercar-se de pessoas onde o carinho prevaleça.

© 2013 – Kol haTorah (www.kol-hatorah.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.