Arquivo da tag: adversidade

Desconstruindo para Reconstruir (Mensagem Especial de Rosh Hodesh)

וְאֶת-הַדָּבָר הַזֶּה עֲשֵׂה הָסֵר הַמְּלָכִים אִישׁ מִמְּקֹמוֹ וְשִׂים פַּחוֹת תַּחְתֵּיהֶם

“Escondeu-se, pois, Dawid no campo; e, sendo a lua nova, assentou-se o rei para comer pão.” (Shemu’el Aelf/1 Samuel 20:24)

A lua nova, nos tempos bíblicos, era marcada pelo reaparecimento da luz da lua após estar oculta ao final do quarto minguante. A volta da luz da lua era marcada por grande celebração. E justamente nessa época, Dawid (Davi) não tinha muitos motivos para celebrar. Acuado, perseguido e escondido, Dawid viu sua vida se esfacelar diante de seus olhos, devido ao ciúme do rei. No entanto, foi justamente a partir dessa situação que Dawid foi conduzido ao reinado de Israel, tendo sido um dos reis israelitas mais importantes da história, cuja dinastia perdurará até o fim desta existência. Sem tirar Dawid da posição onde estava, não teria sido possível conduzi-lo ao objetivo final. Frequentemente, as maiores e mais importantes bênçãos do Eterno começam com períodos em que nossas vidas viram de pernas para o ar, em que tudo que é novo parece ser pior, e que os prognósticos são os mais pessimistas possíveis. Nessas horas, no Eterno é fundamental para não se abater, pois toda grande renovação começa com desconstrução.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Mesmo nas Trevas (1 Rs. 8:12)

אָז אָמַר שְׁלֹמֹה יהוה אָמַר לִשְׁכֹּן בָּעֲרָפֶל

“Então falou Shelomô: ADONAY disse que Ele habitaria nas trevas.” (Melakhim Alef/1 Reis 8:12)

Muitos se indagam porque as Escrituras dizem que o Eterno habitaria nas trevas. Na realidade, a ideia figurativa transmitida pela frase é a de que a habitação do Eterno não é acessível ao homem, no sentido de que Ele é externo à criação, e nada há na criação que possa servir literalmente de Sua morada. Por outro lado, o Eterno está sempre acessível, não importa em que momento, ou em que lugar. Há quem pense que o Eterno só se manifesta nesse ou naquele ambiente, o que seria atribuir a Ele corporalidade, o que para o pensamento judaico é impossível. Sendo assim, não importa onde estivermos ou quão densas sejam as trevas pelas quais passamos, nada há que te impeça de se ligar a Ele.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Dificuldade ou Bênção? (Ex. 5:2)

וַיֹּאמֶר פַּרְעֹה–מִי יהוה אֲשֶׁר אֶשְׁמַע בְּקֹלוֹ לְשַׁלַּח אֶת-יִשְׂרָאֵל לֹא יָדַעְתִּי אֶת-יהוה וְגַם אֶת-יִשְׂרָאֵל לֹא אֲשַׁלֵּחַ

“Mas Faraó disse: Quem é ADONAY, cuja voz eu ouvirei, para deixar ir Israel? Não conheço ADONAY, nem tampouco deixarei ir Israel?” (Shemot/Êxodo 5:2)

O começo da redenção promovida pelo Eterno através de Moshé (Moisés) parecia desastroso para Israel. Ao invés de dar ouvidos a ele, faraó ainda endureceu sua atitude perante o povo de Israel. Moshé, contudo, permaneceu firme no seguir as instruções do Criador, e a adversidade aparente se revelou um grande livramento. Muitas vezes, as melhores coisas que o Eterno coloca adiante de nós, as experiências mais extraordinárias, começam com ares de dificuldade, e de angústia. No entanto, a perseverança costuma nos dar outra perspectiva. As dificuldades de hoje podem revelar ser as grandes bênçãos de amanhã.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Situações Improváveis (1 Sm. 22:2)

וַיִּתְקַבְּצוּ אֵלָיו כָּל-אִישׁ מָצוֹק וְכָל-אִישׁ אֲשֶׁר-לוֹ נֹשֶׁא וְכָל-אִישׁ מַר-נֶפֶשׁ וַיְהִי עֲלֵיהֶם לְשָׂר וַיִּהְיוּ עִמּוֹ כְּאַרְבַּע מֵאוֹת אִישׁ

“E ajuntou-se a ele todo o homem que se achava em aperto, e todo o homem endividado, e todo o homem de espírito desgostoso, e ele se fez capitão deles; e eram com ele uns quatrocentos homens.” (Shemu’el Alef/1 Samuel 22:2)

Observe bem como Dawid (Davi) compôs seu exército. Seus capitães não eram exímios guerreiros, mas sim algumas das pessoas mais improváveis, e sem treinamento. Ainda assim, o Eterno lhes concedeu vitória, de forma que se tornou evidente a ação da Sua destra. Semelhantemente, não devemos desistir quando nos encontramos diante de situações improváveis. Pois muitas vezes é a partir do improvável que o Eterno se manifesta, para nos dar experiências que indicam, sem sombra de dúvida, que Ele está atuante em nossas vidas. Confie nEle, e não perca o foco, pois muitas vezes a Sua ação é inesperada.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Tempos de Angústia e Vitória (1 Sm. 16:13)

וַיִּקַּח שְׁמוּאֵל אֶת-קֶרֶן הַשֶּׁמֶן וַיִּמְשַׁח אֹתוֹ בְּקֶרֶב אֶחָיו וַתִּצְלַח רוּחַ-יהוה אֶל-דָּוִד מֵהַיּוֹם הַהוּא וָמָעְלָה וַיָּקָם שְׁמוּאֵל וַיֵּלֶךְ הָרָמָתָה

“Então Shemu’el tomou o chifre do azeite, e ungiu-o no meio de seus irmãos; e desde aquele dia em diante o sopro de ADONAY se apoderou de Dawid; então Shemu’el se levantou, e voltou a Ramá.” (Shemu’el Alef/1 Samuel 16:13)

Dawid (Davi) havia sido chamado para uma missão muito especial: ser rei sobre Israel. No entanto, ao invés de sua vida melhorar, piorou significativamente. Logo Dawid (Davi) passou de uma vida tranquila diante dos rebanhos do seu pai para alguém que viu guerra e morte de perto, e que se tornaria um fugitivo diante de Sha’ul (Saul). Há um preço a ser pago quando se é escolhido para uma missão especial. Não era intenção do Eterno maltratar Dawid (Davi), mas sim depurá-lo para que pudesse se tornar o rei forte que Israel precisaria. Da mesma forma, muitas adversidades em nossas vidas vêm para nos fortalecer, e permitir que desenvolvamos as habilidades que o Eterno necessita para que, quando venha o tempo da abundância, estejamos muito mais capacitados para empregar os recursos que Ele colocará em nossas mãos. Até lá, a melhor coisa a fazer é confiar nEle, e se perguntar: Quais habilidades preciso desenvolver, e que serão úteis mais adiante? Se estivermos atentos aos sinais, seremos vitoriosos nesse objetivo, como Dawid (Davi) o foi.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Ânimo e Perserverança (Dt. 1:29)

וָאֹמַר אֲלֵכֶם לֹא-תַעַרְצוּן וְלֹא-תִירְאוּן מֵהֶם

“Então eu vos disse: Não vos espanteis, nem os temais.” (Debharim/Deuteronômio 1:29)

Mesmo sabendo que o Eterno é conosco em todas as nossas lutas, é normal que tenhamos medo. Justamente por isso Moshé (Moisés) dizia ao povo: ‘Não temais.’ Essa frase de Moshé não era uma proibição contra o medo, mas sim um incentivo para que o povo criasse a coragem de seguir adiante. Por maior que possa ser a sua confiança no Criador, todos nós, em algum momento, precisamos ouvir de terceiros palavras de ânimo e coragem, para que possamos delas extrair forças para continuar. Se alguém tem te incentivado a prosseguir, essa pessoa pode estar sendo como um mal’akh (anjo/mensageiro) do Eterno em sua vida, levando palavras de ânimo e incentivo, para que você prossiga enfrentando as adversidades, até que elas sejam superadas, e você possa encontrar repouso e alívio.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Adversidade e Recomeço (Ex. 1:8)

וַיָּקָם מֶלֶךְ-חָדָשׁ עַל-מִצְרָיִם אֲשֶׁר לֹא-יָדַע אֶת-יוֹסֵף

“E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a Yossef.” (Shemot/Êxodo 1:8)

Tudo parecia bem aos filhos de Israel. Prósperos, fecundos e numa terra onde havia fartura de alimentos, viviam despreocupados. Até que um faraó se levantou, e resolveu escravizá-los. Na vida, frequentemente somos surpreendidos por mudanças, que nos abatem e tiram o sono, e parece que iremos sucumbir à pressão da adversidade. No entanto, o Eterno tinha planos muito maiores para o povo de Israel, conforme a profecia que já havia sido anunciada a Avraham (Abraão). Da mesma forma, muitas vezes a adversidade é uma maneira que o Eterno tem de nos proporcionar um recomeço, para coisas ainda mais grandiosas, maravilhosas e incomensuráveis.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Não à Assimilação (Especial Hanuká)

וְלֹא תֵלְכוּ בְּחֻקֹּת הַגּוֹי אֲשֶׁר-אֲנִי מְשַׁלֵּחַ מִפְּנֵיכֶם כִּי אֶת-כָּל-אֵלֶּה עָשׂוּ וָאָקֻץ בָּם

“E não andeis nos costumes das nações que eu expulso de diante de vós, porque fizeram todas estas coisas; portanto fui enfadado deles.” (Wayiqrá/Levítico 20:23)

Mesmo não tendo experimentado essa miswá (mandamento) ao extremo, tal como ocorreu durante a Revolta dos Macabeus, certamente que todos nós lutamos com isso praticamente todos os dias. É difícil e desgastante evitar o caminho das nações, quando mais fácil seria nos conformarmos aos valores da idolatria. No entanto, a aderência a esse preceito é justamente o que permite que o Eterno se relacione conosco, visto que Ele jamais aceitaria ser segundo em importância, ou não ser exclusivo. Para que um esforço valha à pena, é preciso observar o ganho. E não há nada mais precioso do que ganhar a companhia do Criador dos céus e da terra.

© 5775 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

O Objetivo das Perdas (Jz. 7:2)

וַיֹּאמֶר יהוה אֶל-גִּדְעוֹן רַב הָעָם אֲשֶׁר אִתָּךְ מִתִּתִּי אֶת-מִדְיָן בְּיָדָם פֶּן-יִתְפָּאֵר עָלַי יִשְׂרָאֵל לֵאמֹר יָדִי הוֹשִׁיעָה לִּי

“E disse ADONAY a Guid`on: Muito é o povo que está contigo, para eu dar aos midianitas em sua mão; a fim de que Israel não se glorie contra mim, dizendo: A minha mão me livrou.” (Shofetim/Juízes 7:2)

Para manifestar sua glória, o Eterno retirou de Guid`on (Gideão) boa parte do exército. Se tivesse deixado permanecer aquele número, o povo diria que venceu por seus próprios recursos. O mérito pessoal se tornaria num ídolo, ofuscando a glória do Criador. Assim frequentemente é conosco. Um dos motivos pelos quais o Eterno permite que passemos por períodos de perdas é para que aquelas coisas nas quais nos agarramos não se tornem ídolos, que enfraqueçam a nossa fé no Criador e nos afastem de Seus caminhos. O aprendizado de passar por perdas e ganhos cíclicos nos depura, a fim de que possamos confiar cada vez mais nEle. O objetivo do Eterno é nos conduzir à confiança inabalável, e a adoração exclusiva a Ele. E isso é tão grande e tão importante que certamente vale o processo, mesmo quando é doloroso.

© 5775 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Quando o Mundo Desaba (Gn. 7:5)

וַיַּעַשׂ נֹחַ כְּכֹל אֲשֶׁר-צִוָּהוּ יהוה

“E fez NoaH conforme a tudo o que ADONAY lhe ordenara.” (Bereshit/Gênesis 7:5)

O fato de NoaH (Noé) ter feito tudo que o Eterno ordenou é bastante enfatizado pela Torá, e repetido em vários pontos. Agir segundo a instrução do Eterno não impediu que NoaH (Noé) passasse pelo dilúvio. Certamente que passar tantos dias na arca com sua família foi tarefa sofrida. No entanto, foi justamente a obediência de NoaH que o salvou. Andar em retidão de conduta não nos impede de passarmos pelos dilúvios da vida. Momentos em que parece que o mundo desabou sobre nós. No entanto, é justamente a nossa obediência que nos faz sobreviver e seguir adiante, ao invés de nos afogarmos em meio a tantos problemas. Tenha confiança no Criador e em breve, assim como NoaH, você voltará a fincar seu pé em terra seca.

© 5755 – Qol haTorah (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.