Quando o Eterno ouve? (Sl. 116:2)

כִּי-הִטָּה אָזְנוֹ לִי וּבְיָמַי אֶקְרָא

“Porque inclina para mim o seu ouvido, invocá-lo-ei enquanto viver.” (Tehilim/Salmos 116:2)

O salmista traz em suas palavras a confiança de que o Eterno ouve suas orações. De onde vem essa fé? A resposta está no entendimento de que a resposta do Eterno não depende unicamente dEle conceder a nossa vontade. Depende do fato de que nosso pedido pode ou não estar alinhado com o tempo e com os planos dEle. Quando um filho pede ao pai um doce, e o pai não o concede sabendo que seu filho pode passar mal, o filho pode não ficar feliz, mas confia que o pai só quer o bem dele. Da mesma forma, devemos desenvolver em nós a capacidade de entender que o Eterno quer o melhor para nós. E, frequentemente, esse melhor significa não atender ao nosso desejo imediato. Confie que Ele sabe o que faz, e você perceberá que nenhuma oração deixa de ser ouvida.

© 5776 – Qol haTorá (www.qol-hatora.org) – Proibida a reprodução sem consentimento prévio.

Comentários

comments